Melhor idade para aprender inglês e outras línguas

Muitas vezes acreditamos que as crianças estão muito mais aptas em aprender inglês ou qualquer outra língua estrangeira, mas os adultos também têm seus benefícios nesse aprendizado.

As crianças que ainda estão na fase de pré-escola, ou seja, em idade de 3 até 6 anos de idade não estão aprendendo uma língua, elas estão adquirindo uma língua. Essa introdução é uma forma de encorajar você a começar os estudos, seja de inglês ou qualquer outra língua.

A ciência explica a melhor idade para aprender inglês e qualquer outra língua

A ciência oferece uma visão muito mais abrangente de como os adultos se relacionam com o aprendizado e como evoluímos nessa questão ao longo da vida. Isso é realmente muito encorajador.

Em cada fase da vida estamos em uma determinada vantagem de aprendizado. Quando ainda somos bebês, temos uma capacidade de audição aguçada para distinguir diferentes sons. Quando ainda estamos na fase de criança, temos a capacidade de aprender sotaques em velocidades assustadoras, quando chegamos na fase adulta, conquistamos a capacidade de atenção e habilidades importantes como a alfabetização que permite estar aumentando nosso vocabulário continuamente.

“As crianças pequenas são muito ruins em aprender explicitamente, porque não têm o controle cognitivo e as capacidades de atenção e memória” disse Antonella Sorace, diretora do Bilingualism Matters Centre e ainda explica: “Os adultos são muito melhores nisso. Então isso pode ser algo que melhora com a idade”.

Uma pesquisa feita em Israel descobriu que os adultos eram melhores que as crianças em compreender regra de uma linguagem artificial. O estudo foi realizado divido por três grupos separados, sendo: crianças de 8 anos, crianças de 12 anos e um terceiro grupo de adultos e jovens. Os adultos pontuaram mais que os jovens e o grupo de 12 anos se saiu melhor que o grupo de 8 anos.

A pesquisa concluiu que os participantes mais velhos se aproveitam das habilidades que só o tempo é capaz de fornecer, como por exemplo uma estratégia mais avançada para soluções de problemas. Resumindo, os adultos com o seu maior conhecimento de mundo, são mais capazes de conhecer sobre si e usar desta vantagem para processar melhor as informações.

As crianças têm mais vantagens em aprender sotaques, porque ouvem os nativos e conseguem imita-los, esse aprendizado requer uma demanda maior de tempo com moradores locais. Em 2016, o Bilingualism Matters Centre fez um relatório interno sobre lições de mandarim nas escolas primárias do governo escocês. O relatório afirmava que uma aula por semana não fazia diferença no aprendizado das crianças até cinco anos de idade, mas, apenas uma hora e meia na presença de um nativo chinês ajudariam as crianças a compreender elementos de mandarim que são mais difíceis na compreensão dos adultos, como por exemplo os tons.

Os bebês já balbuciam na sua língua materna

Quando bebês, podemos ouvir todas as 600 consoantes e 200 vogais espalhadas ao redor do mundo. No primeiro ano de vida, o cérebro começa a se especializar nos sons ouvidos com mais frequência. Até mesmo um recém-nascido chora com sotaque, imitando os sons que ouvia quando ainda estava no útero. Os bebês japoneses podem facilmente distinguir entre a letra “L” e “R”, mas os adultos japoneses acham isso mais difícil.

Estudos com crianças abandonadas ou isoladas mostram que a falta de aprendizagem linguística desde a infância, será muito mais difícil compensar mais tarde. Mas a surpresa é que isso vale apenas para língua nativa. Línguas estrangeiras estão fora da regra.

Danijela Trenkic, psicóloga da Universidade de York, afirma que a vida de uma criança pode ser completamente diferente da vida de um adulto. Ela cita um exemplo de quando uma família se muda para um país estrangeiro e a criança aprende a língua com muito mais velocidade que um adulto. Danijela Trenkic explica que as crianças por estarem em integral convívio social com a cultura local resulta nesta velocidade de aprendizado, já os pais podem estar em condições em que o relacionamento com a outra língua pode não ser tão constante como são para os filhos.

Um estudo baseado em um questionário on-line com aproximadamente 670.000 pessoas, descobriu que o conhecimento nativo da gramática inglesa são melhores associados às crianças que começaram a aprender antes dos 10 anos de idade, após esta idade, a capacidade de aprendizado diminui. O estudo também apontou que podemos melhorar o idioma com o tempo. Um exemplo é, que nós conseguimos dominar completamente nossa própria língua nativa por volta dos 30 anos de idade e nesta idade é possível adicionar uma nova palavra por dia no vocabulário do seu próprio idioma.

Para finalizar

Muitas vezes a motivação para aprender uma língua nova, vem da pressão de um chefe, na possibilidade de causar uma boa primeira impressão em uma entrevista, numa promoção ou em alcançar um cargo almejado. Mas além de todos estes benefícios, existem os benefícios mentais por estarmos constantemente estimulando o cérebro em novos aprendizados e na oportunidade de conhecer muito mais pessoas. Dessa forma conseguimos abrir a mente para novas culturas e ainda conseguimos ampliar a visão de mundo.

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos que ainda estão em dúvida para aprender uma nova língua!

Por |2018-11-04T23:45:09+00:004 de novembro de 2018|Categorias: Corpo e Mente|Tags: , |0 Comentários

Deixe um Comentário